O que é menisco discóide?

É uma lesão congênita no joelho que atinge homens e mulheres. Cerca de 1 a 3% dos casos envolvem o menisco lateral disc0ide e, raramente, o menisco medial. Pode ser do tipo completo, intermediário ou infantil. Os primeiros sintomas são sinovite (inflamação nas membranas sinoviais), dor articular progressiva após atividades e derrame, podendo haver até um bloqueio articular. O diagnóstico é quase sempre tardio, após cinco anos, com queixa de falseio, ruídos articulares, claudicação, ressalto, redução das atividades e atrofia do quadríceps.

Para diagnosticar a doença, alguns exames complementares são indicados: a radiografia do joelho com carga ou apoio monopodálico e a ressonância magnética.

O tratamento consiste em analgesia, redução relativa das atividades e fortalecimento muscular. Mas, muitas vezes, essa medida não funciona. Quase sempre o tratamento acaba sendo cirúrgico a fim de regularizar e tornar o menisco mais parecido com o normal.

Alongar é bom para o ombro?

Na maioria das vezes, não. O ombro é uma articulação bastante frouxa e a realização de alongamentos em ângulos inadequados em geral é mais prejudicial do que benéfica.

Sinto dormência nas minhas mãos, o que pode ser?

A dormência nas mãos pode ser decorrência de vários fatores, problemas a nível da coluna cervical que atingem as raízes nervosas, problemas cardiológicos quando do lado esquerdo, problemas vasculares e o mais comum de todos a compressão do nervo mediano, chamada síndrome do túnel do carpo que provoca os sintomas de dormência (parestesias), dores noturnas e fraqueza nas mãos e com dificuldade para segurar objetos. Procure um especialista para avaliar.

O que é luxação de ombro?

É definida como a “perda do contato articular”. Isto é, a separação de dois ossos que costumam estar em íntimo e contínuo contato por meio de uma área lisa e deslizante, chamada de cartilagem. A luxação do ombro ocorre quando uma força extrema supera os mecanismosestabilizadores (lábio, cápsula e manguito) e desloca a cabeça do úmero para fora da glenóide. Chamamos de subluxação quando o úmero retorna à posição original sozinho após o deslocamento. Essas circunstâncias podem ocasionar lesões dos tecidos. Na maioria das vezes, os danos serão no lábio e nos ligamentos. Em pacientes acima dos 40 anos, além do lábio, os tendões do manguito rotador também podem ser lesados, o que torna a luxação mais grave.

O que é água no joelho?

É um termo usado popularmente para definir o acúmulo de líquido dentro da articulação do joelho. Dentro das articulações existe um fluido denominado líquido sinovial, este líquido é produzido por uma membrana que recobre internamente as articulações e tem a função de lubrificar as extremidades ósseas, amortecer os impactos e participar da nutrição das peças articulares.

Este acúmulo de líquido pode ser causado por algumas doenças, traumas ou lesões que estimulam a produção aumentada do líquido sinovial. Esse problema indica que há algo errado dentro do joelho, como artrose, lesões meniscais ou ligamentares, doenças reumáticas, entre outros.

Quais os cuidados devo ter com o gesso?

  1. Não molhe o gesso. Embora o gesso sintético não perca o seu formato em contato com a água, evite molhá-lo, pois a umidade causa mau cheiro e aumenta as chances de infecção por fungos. Você deve protegê-lo com saco plástico ao tomar banho.
  2. Não coloque nenhum objeto dentro do gesso, nem mesmo para coçar. O atrito pode provocar feridas, que podem evoluir sem tratamento. Tenha especial cuidado com crianças, pois elas podem introduzir pequenos brinquedos sob o gesso.
  3. Procure manter o membro engessado elevado durante a maior parte do dia e durante à noite.
  4. Limpe cuidadosamente entre os dedos e mantenha esta região seca. A umidade propicia o desenvolvimento de infecção por fungos (frieiras).
  5. Se você colocou um gesso convencional, não apóie nas primeiras 48 horas para que seque completamente. No caso do gesso sintético, o apoio pode ser liberado em alguns casos, minutos depois da colocação, pois a secagem é muito mais rápida.
  6. Tenha cuidados com escadas, tapetes e pisos molhados, eles aumentam a chance de quedas, especialmente se você está usando muletas.
  7. Procure movimentar os dedos e articulações que não estão imobilizadas.
  8. Nunca retire o seu gesso sem falar com o médico e jamais diminua ou corte o seu gesso.
  9. Não conduza veículos auto motores enquanto estiver com gesso.
  10. Siga exatamente as orientações do seu médico. No caso de dúvidas, entre em contato.

Examine o seu gesso diariamente e entre em contato nas seguintes situações:

  1. A dor aumenta sem explicação aparente.
  2. Inchaço progressivo nos dedos, que não cede com a elevação do membro.
  3. Machucados nas bordas do gesso.
  4. Dormência (formigamento) ou anestesia da parte engessada.
  5. Dificuldade para movimentar a perna engessada.
  6. Odor forte e progressivo.
  7. Aparecimento de manchas no gesso, especialmente as oriundas de dentro para fora.
  8. Alteração na coloração (azulada ou vermelhada) e temperatura da pele (pele fria).
  9. Febre (acima de 37,80 Celsius).
  10. Gesso torna-se muito frouxo, quebrado ou apertado.

Como cuidar do meu curativo?

  • Ao tomar banho, proteger o curativo de forma que o mesmo não entre em contato com a água.
  • Não colocar pomadas, emplastos, spray sem indicação médica.
  • Em caso de sangramento em excesso, procurar imediatamente o CEOT ou hospital conveniado.
  • Na Retirada de pontos manter micropore em média de 2 a 3 dias.
  • Ao detectar edema, calor, rubor no local da incisão, entrar em contato com o CEOT.