Escoliose

A escoliose é uma curvatura anormal da coluna para um dos lados do tronco, determinada pela rotação das vértebras. A deformidade pode ser vista quando olhamos a pessoa de costas.



A principal característica do desvio é a presença de uma curvatura lateral no plano tridimensional do movimento, o que lhe confere a aparência de um C, no caso de uma só curvatura, ou de um S, quando existe mais de uma curvatura. Basicamente, a escoliose pode ser classificada em estrutural ou funcional.

Na estrutural, a deformidade óssea está correlacionada com um problema congênito ou adquirido, que afeta diretamente determinado segmento da coluna e, na maioria dos casos, é irreversível. Na funcional, a estrutura óssea permanece preservada.  As curvaturas surgem como manifestação secundária para compensar os desajustes causados por um distúrbio em outra parte do corpo, como o crescimento assimétrico das pernas, por exemplo. Em geral, as curvas funcionais são flexíveis e podem ser corrigidas com tratamento.

Quais as causas da escoliose?
Para cada tipo de escoliose, existe uma causa. A escoliose congênita decorre de problema com a formação dos ossos da coluna vertebral ou de um problema de fusão dos ossos da coluna, podendo ou não estar associado à fusão de costelas durante o desenvolvimento do feto ou do recém-nascido.

A escoliose neuromuscular é causada por problemas neurológicos como paralisia cerebral ou musculares que determinam fraqueza muscular, controle precário dos músculos ou paralisia decorrente de doenças como distrofia muscular, espinha bífida e pólio. A escoliose idiopática não tem causa conhecida.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico dos desvios da coluna baseia-se no exame clínico minucioso, com o paciente de frente, de costas e de perfil, assim como nos achados dos exames de raios X da coluna. Há casos em que se torna necessário recorrer à tomografia computadorizada e à ressonância magnética para estabelecer o diagnóstico definitivo e encaminhar o tratamento.

E o tratamento?
Quando os sinais da doença se manifestam, o médico leva em consideração as peculiaridades de cada caso, ou seja, a idade do paciente, o grau e padrão da curvatura, as características da deformidade e a intensidade da dor para então determinar o tratamento.

O tratamento conservador é por meio de fisioterapia, RPG e medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares. Para escoliose causada por obesidade, é imprescindível que o paciente encontre uma forma de perder peso.
A cirurgia para estabilização da coluna vertebral só é recomendada para pacientes adultos em situações muito especiais.

Na escoliose, só representa uma opção para corrigir a deformidade quando o desvio é superior a 50º, a dor é intensa e está comprometendo a função pulmonar. O procedimento consiste em corrigir a curva, embora não completamente, e encaixar os ossos dentro dela. Os ossos são fixados no lugar com uma ou duas hastes de metal presas com ganchos e parafusos até que o osso seja recuperado. Após a operação, pode ser necessário o uso de uma órtese para estabilizar a coluna vertebral.

O que fazer se perceber algum desvio na coluna?

Se você tem algum problema na coluna, procure um médico especialista para o diagnóstico e o melhor tratamento. No CEOT contamos com ortopedistas especialistas em coluna e que estão disponíveis para atendimento (45) 3222-1440.

COMPARTILHAR