Torceu o pé e sente dores? Seja avaliado por um ortopedista

Esconder uma lesão nunca é a saída mais apropriada. Pela dor ou mesmo pelo desconforto, a lesão pode influenciar no seu caminhar e nas atividades do dia a dia. O principal motivo de procurar ajuda é evitar consequências mais sérias no futuro.

Somente um ortopedista poderá avaliar a importância da lesão e é ele quem irá orientar sobre os cuidados que você deverá tomar, indicando, também, o melhor tratamento. Este pode incluir imobilização do pé, prática de alguns exercícios específicos, fisioterapia e, caso necessário, outros métodos.




Torção no pé – entorse
Infelizmente, todos estamos suscetíveis a ter uma entorse do tornozelo. Este mal pode atingir atletas, não atletas, crianças e adultos. A torção pode acontecer ao pisarmos em falso numa superfície irregular, como em calçadas, durante a prática de esportes ou simplesmente ao andar pela casa.

Existem vários mecanismos de entorse: de inversão (a planta do pé para dentro), de eversão (planta do pé para fora) e ainda podem estar associados movimentos de rotação do tornozelo. A gravidade é determinada pelo nível de lesão nos ligamentos, estiramento ou ruptura. O médico pode classificar a lesão em três níveis:
1º grau: Leve
2º grau: Moderado
3º grau:  Grave

Normalmente, o entorse é acompanhado de muita dor, inchaço, hematomas e, às vezes, incapacidade de pisar.

Áreas e ligamentos afetados ao torcer o pé
No entorse, as lesões são mais comuns na região lateral e o ligamento mais afetado é o talo-fibular anterior. Para cada tipo de torção pode haver um ligamento ou área afetada, sendo:

Inversão (quando o pé vira para dentro) – O ligamento mais afetado nesta região é o talofibular anterior, localizado entre as bordas da fíbula e do tálus.

Eversão (quando o pé vira para fora) – Pode levar a uma lesão mais grave em tendões e ligamentos da região medial e lateral do tornozelo.

Rotação (quando o tornozelo gira para fora ou para dentro com maior amplitude) – pode afetar ligamentos que unem a tíbia e fíbula, afetando diretamente a estabilidade do tornozelo.

Diagnóstico
Para os casos de torção, o médico fará o exame clínico e analisará a radiografia simples, para conhecer a amplitude da área afetada. Em caso de suspeita de lesão mais grave, o ortopedista pode pedir um exame de ressonância magnética.

Tratamento
O tratamento para entorse varia de acordo com o nível da lesão, podendo exigir repouso, aplicação local de compressas de gelo, elevação do membro afetado e proteção articular com imobilizador ou tala gessada.

E se eu não tratar?
Uma das complicações temidas do entorse de tornozelo é a ocorrência de fraturas associadas. Caso não diagnosticadas a tempo o paciente terá seu processo de recuperação e retorno a atividades atrasado e há grande risco de desenvolver sequelas irreversíveis.

Uma segunda preocupação é o desenvolvimento de instabilidade do tornozelo, ou seja, a articulação fica “frouxa” devido a lesão ligamentar não tratada. Esse problema pode levar a incapacidade para atividades físicas e desgaste da articulação precoce.

Não deixe de procurar atendimento!

COMPARTILHAR